Processando...
Home

Design Thinking como parte do processo criativo

Provavelmente o maior desafio no dia a dia de todos os profissionais (e aqui não limitamos  somente aos de comunicação) se encontra no imediatismo por resultados. Contudo, por meio da aplicação de uma técnica criativa, torna-se possível encontrar soluções inovadoras. 

Estamos falando do Design Thinking. Uma ferramenta prática que não deve ser usada somente em agências de publicidade, mas também ser aplicada em escolas e empresas de outros setores. 

O Design Thinking colabora na imersão de projetos de maior qualidade. O processo consiste em etapas que podem ser conferidas a seguir. Boa leitura! 

 

Design Thinking: metodologia ou abordagem? 

Há quem diga que o Design Thinking não se trata de uma metodologia, mas sim de uma abordagem, porque quando falamos em método temos a expectativa de ter em mãos a “receita do bolo” que se utiliza em qualquer momento. Mas aqui, vamos tratar como uma técnica. 

Seus primórdios vêm da área do design, que pode ser traduzida como “pensamento do design” ou “pensar como designer”. No entanto, reforçamos que a metodologia não é restrita somente para quem atua no setor de comunicação, mas para todos que buscam por inovação. 

O foco está na experiência do público. O processo pode ser colocado em prática de diversas formas, como na criação de novos produtos e serviços, ou como já citado anteriormente, na busca por soluções para vários problemas. 

 

As fases do Design Thinking 

O Design Thinking é dividido em 5 passos. Mas antes de iniciar os caminhos, torna-se importante avaliar o problema que necessita de solução, encontrar possíveis opções e planejar sua realização. Conheça a seguir as suas fases: 

 

  1. Empatia 

O primeiro passo começa com a identificação das características que formam o público-alvo. Também se colocando no lugar do outro para compreender o problema. Assim, será possível verificar os impassas existentes. 

 

  1. Definição

Com os pontos que necessitam de solução mapeados, a próxima etapa consiste em traçar  o problema e o que precisa ser resolvido. É interessante criar personas e desenhar a jornada do consumidor. 

 

  1. Idealização

Momento para gerar ideias e insights. Aplicando o Design Thinking por meio do brainstorming, é a oportunidade de estimular o processo criativo sem medo de errar. Trazer alguns dados também pode ser proveitoso. 

 

  1. Protótipo 

É hora de criar o protótipo a partir da escolha de uma ideia da etapa anterior. Pode ser algo rascunhado em um papel para simular e conferir como o método está procedendo na prática. 

 

  1. Testes 

A última etapa do Design Thinking é o momento de conferir se a solução realmente resolve o problema identificado na segunda fase. Torna-se essencial estar atento aos feedbacks para ajustar o que for preciso. 

 

Por que adotar para o meu negócio? 

O primeiro motivo para você aderir ao Design Thinking é que a técnica gera poucas despesas. Além disso, pode ser um diferencial para o seu negócio se destacar da concorrência e gerar mais lucros. Grandes empresas como Natura, Havaianas e Netflix também utilizam o Design Thinking.

Outra vantagem da técnica é o envolvimento de todas as áreas de uma empresa. Sendo assim, os colaboradores desenvolvem o sentimento de pertencimento e se sentem mais valorizados, colaborando na produtividade do negócio. Para finalizar, assista a essa palestra de Ricardo Ruffo, especialista em Empreendedorismo e Inovação sobre Design Thinking no TEDx.

RECEBA
O CONTEÚDO
ESPACIAL QUE
PREPARAMOS
PARA VOCÊ.
Cadastre aqui seu e-mail
para receber as news.

NOSSAS COORDENADAS:

+55 51 99252 5042
Porto Alegre - RS - Brasil
criacao@agenciaorbita.com.br